sexta-feira, 27 de maio de 2011

Prefeito Helder no Twitter


Visitando obras de Escola 8 salas em Águas Lindas,entrego no início de Agosto.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

SANTA GRANA

Desde Quarta Feira que o Governo do Estado vem fazendo pagamento de seus funcionários. Com o calendário o governo reitera o compromisso em pagar todos os funcionários públicos estaduais antes do quinto dia útil do mês subsequente.
A remuneração será feita na seguinte ordem:
25 (quarta-feira)- Pensionista Militar/Pensionistas Civis
26 (quinta-feira) – Inativos Civis e Sead (Pensões especiais)
27 (sexta-feira) – Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria, Defensoria, Gab-Vice, NGPR, Procuradoria, Segov, Sepe, Sepaq, Seir, Sedect, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Sedurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Sedes, Setran E Secom.
30 (segunda-feira) - Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, CDI, Ceasa, Cohab, CPC/Renato Chaves, Detran, EGPA, Emater, FCG, FCPTN, FCV, Funcap, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Hemopa, IAP, Iasep, Igeprev, Imep, IOE, Iterpa, Jucepa, Paratur, Prodepa, Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp e Loterpa.
31 (terça-feira) - Seduc - capital e interior
Já o paga,mento dos servidores da Prefeitura de Ananindeua ocorrerá na Sexta Feira dia 27, excessão dos lotados no Gabinete do Prefeito que deverão pegar na"Santa Grana" na Terça Feira dia 31.
Ainda bem que os Barnabés estarão forrados de grana na semana que vem. Corram credores!

Audiência pública discute obras do PAC em Ananindeua




Nesta quinta-feira (26), a vice-prefeita de Ananindeua Sandra Batista, o Secretário de Saneamento, Paulo Sérgio Gomes, e a Secretária de Habitação, Zinda Nunes, participaram de uma audiência pública.na Câmara Municipal. A sessão especial discutiu os investimentos nas obras de infraestrutura no município inclusas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Programa “Minha Casa, Minha Vida”.
Além dos representantes da gestão municipal e dos vereadores, estiveram presentes na audiência representantes de associações e movimentos sociais. Os presentes assistiram à apresentação do Secretário de Saneamento que explicou onde e como estão sendo construídas as obras do PAC, quais os investimentos feitos e quem serão os beneficiados.
Entre os temas debatidos estão os habitacionais do Jaderlândia e do Maguariaçu e a meta do programa para este ano. Já a secretária de Habitação Zinda Nunes esclareceu todas as dúvidas dos moradores com relação ao programa “Minha Casa, Minha Vida”. Ela explicou desde como é feita a inscrição até a construção dos empreendimentos, principalmente os que irão beneficiar pessoas com renda de 0 a 3 salários.
Na ocasião, os representantes de comunidades e associações fizeram suas reclamações e solicitações. Antônio Carlos, representante do Movimento de Luta Popular, disse que as informações mostradas precisavam ser fiscalizadas. “Os números mostrados de obras no município não refletem a realidade. Não observamos a realização dessas obras e não percebemos uma Prefeitura presente”, disse.
A vice-prefeita de Ananindeua Sandra Batista ressaltou a importância do PAC para o crescimento de Ananindeua e respondeu os questionamentos. “A maioria dos bairros em Ananindeua foram criados através de ocupações de forma desordenada. As obras PAC estão espalhadas na cidade e vão ajudar na estruturação do município”, afirmou.
“Os recursos estão sendo aplicados, mas no inicio as obras são sempre complicadas e lentas. É preciso o entendimento da população. Para que as obras possam ser de qualidade é preciso fazer o saneamento adequado e, assim, as áreas podem receber obras de qualidade”, concluiu a Vice Prefeita.
Para o vereador Pedro Soares, requerente da audiência, o debate é necessário para esclarecer a população que tem o direito de cobrar ações do poder público.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Libertadores 2003 - Cerro Porteño 2 x 6 Paysandu


Asaistindo o jogo do Santos na Tv, não tinha como não lembrar.

Agradecemos o Vereador Pedro Soares pelo covite.

Rio Global Green Business


O Prefeito Helder Barbalho foi convidado  como presidente da Famep para ser um dos palestrantes, do Rio Global Green Businness, que acontece de 1 a 3 de junho, no Rio de Janeiro. O RGGB foi criado para conectar empresas de finanças, infraestrutura e de tecnologia com as cidades que querem se tornar cada dia mais verdes. Vamos levar as experiências da Famep na busca pelo desenvolvimento sustentável dos municípios paraenses, com destaque para nossa luta pela descentralização da gestão ambiental, que se consolidou com aprovação de projeto na Assembléia Legislativa, além do trabalho de convencimento dos municípios para assinarem o Termo de Compromisso contra o desmatamento proposto pelo MPF.

III Dia Internacional da África.

III Dia Internacional da África.

Data: 26 de Maio de 2011.

Palestra: Raízes africanas das religiões negras na Amazônia.

Ministrante: Profª. Drª. Taissa Tavernard de Luca.

Local: Auditorio Raimundo Albuquerque, as 19:00h.

Prêmio Construindo a Nação 2010/2011






A Escola Cândida recebeu na manha de ontem, o Prêmio Construindo a Nação 2010/2011. A Solenidade de premiação aconteceu no auditório do SESI da Quintino. A Escola Cândida recebeu o troféu de 1º lugar na categoria Ensino Fundamental. Como representante da Escola estava a Secretária de Educação de Ananindeua a Prof Elieth Braga, o Gestor da escola Prof Belmiro Neto, a coordenadora educacional a Prof Alcilene Magalhães.

Fotos:
escolacandida21.blogspot.com

Escolas recebem Prêmio Construindo a Nação

Nesta terça-feira (24), nove escolas de diferentes municípios do Estado do Pará, receberam o Prêmio Construindo a Nação, do Instituto Cidadania Brasil, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Serviço Social da Indústria (SESI-PA). A cerimônia de entrega da premiação aconteceu no auditório Albano Franco da FIEPA e teve participação de secretários municipais de Educação, diretores de escolas e a diretoria do Sistema FIEPA.

O prêmio incentiva o desenvolvimento de projetos que contemplam temas voltados à cidadania, com a participação efetiva dos estudantes em todas as suas etapas. O Prêmio Construindo a Nação foi instituído com o objetivo de estimular a cidadania nas escolas públicas e privadas, por meio da realização de projetos desenvolvidos por alunos e professores em benefício das comunidades.

Durante a premiação, as escolas vencedoras do prêmio apresentaram todas as fases de execução para a implementação dos projetos voltados à cidadania (estudo, concepção, diagnóstico, planos de ação e avaliação documentadas através de relatórios, pesquisas e documentação fotográfica). Cada escola pôde inscrever apenas um projeto para concorrer.

O Pará inscreveu no ano passado 54 escolas em dez municípios, envolvendo 1.8 mil alunos do ensino infantil, fundamental, médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos). Dessas, apenas nove escolas tiveram seus projetos selecionados pela comissão julgadora do prêmio.

“Esta premiação é um reconhecimento para essas escolas, seus diretores e professores, mas acima de tudo para os alunos das instituições premiadas. É através deles que teremos condições de construir um país melhor”, afirma o superintendente regional do SESI no Pará, José Olimpio Bastos.

Para que as nove escolas pudessem ser premiadas, elas tiveram que passar por onze critérios de avaliação: possibilidade de vivência social aos alunos; mobilização da escola frente ao projeto; possibilidade de ação junto à comunidade; parcerias empreendidas visando o alcance dos objetivos; criatividade e inovação; impacto social do projeto; perspectivas futuras do projeto; tempo de duração do projeto desde sua concepção até a sua avaliação; e avaliação final da ação social empreendida.

Premiação

Na categoria ensino infantil a escola vencedora foi o Centro Educacional Gildete Dutra, do município de Altamira. A escola apresentou o projeto campeão “Alimentação: em busca de uma vida saudável”, que através de ensino pedagógico orientou os alunos para a importância do poder nutritivo dos alimentos.

Já no ensino fundamental, com o projeto “Cultura de paz na escola – um grito de cidadania”, a vencedora foi a escola Cândida Santos de Souza, de Ananindeua. O Centro Integrado de Ensino Êxito, de Marába, venceu com o projeto a “Segunda Gincana Solidária”, levando o prêmio na modalidade ensino médio.

Na categoria EJA, a Escola Estadual de Ensino Médio Inácio Koury Gabriel Neto foi quem recebeu a premiação. Com o projeto “Conhecer para prevenir: um caminho para se evitar as drogas”, a instituição de ensino, mais que o reconhecimento adquirido com o prêmio, conseguiu transmitir aos seus alunos o poder maléfico e destrutivo das drogas, trabalhando na prevenção e combate dos entorpecentes.
(DOL, com informações da FIEPA)

Vergonha..

Paysandu perde de 2 a 1 para o Ypiranga (AP)

...

Depois de quase dois anos de discussões, a Câmara aprovou na noite desta terça (24), por 410 votos a favor, 63 contra e uma abstenção, o texto-base do projeto do novo Código Florestal, legislação que estipula regras para a preservação ambiental em propriedades rurais.

Depois de dois anos de debate, Câmara aprova Código Florestal

Matéria vai ao Senado e já tem pontos que deverão ser modificados.

Após aprovação do texto-base, deputados analisam emendas ao projeto.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Conjunto Habitacional do Jaderlândia: obras em ritmo acelerado

Na segunda-feira (24), representantes da Caixa Econômica Federal, do Ministério das Cidades e da Prefeitura de Ananindeua visitaram a obra do conjunto habitacional do Jaderlândia. A construção é realizada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Estou sabendo da nova!!!!

Noivinhos Juntando os trapinhos....

ARRAIÁ DA ACIA

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Jader e sua trajetória política.

Hoje no site que leva seu nome o Senador eleito Jader Barbalho faz referências a sua trajetória política, vale a pena ler, veja abaixo. Para comprovar acesse: 
http://www.jaderbarbalho.com/site/

Jader e o povo do Pará. 45 anos de amor correspondido.
23 de maio de 2011

Nenhum político, em lugar e época alguma, consegue ficar tanto tempo no poder se não permanecer no coração do povo. Jader Barbalho é o único paraense e um dos poucos brasileiros a conseguir esta marca: 45 anos de liderança e trabalho reconhecidos eleição após eleição. Esse é o julgamento que importa, contra o qual não se pode fazer nada. A verdade que vem das urnas é incontestável, é soberana, não tem campanha contra que apague. A propaganda passa. As realizações que o povo comprova no seu dia-a-dia ficam. E estão de tal forma integradas à vida das pessoas que é até compreensível que alguns esqueçam. Mas o povo não esquece. O povo reconhece.
Trajetória de lutas ao lado do povo e da democracia
Jader iniciou sua carreira em 1966, aos 21 anos de idade, como vereador de Belém, após se destacar na luta estudantil, iniciada no Colégio Paes de Carvalho e depois na Juventude Estudantil Católica. Ele foi um dos fundadores do Movimento Democrático Brasileiro – MDB, que deu origem ao PMDB. Até hoje, Jader mantém-se fiel ao partido e aos princípios que norteiam sua vida pública desde o início: promover o desenvolvimento do Estado e a qualidade de vida da sua população.
Na década de 70, foi eleito deputado estadual e duas vezes deputado federal, revelando-se um orador brilhante e destemido, integrando o grupo Autênticos do PMDB, aqueles que não silenciaram mesmo diante de ameaças de violências como cassação do mandato e suspensão dos direitos políticos. Em 1982, graças a sua liderança ímpar na luta contra a ditadura militar, foi eleito governador do Pará, o mais jovem na história do Estado, com 38 anos de idade. Foram realizadas grandes obras como o Pará jamais viu. Jader foi também um dos líderes da campanha pelas Diretas Já, que devolveu ao povo brasileiro o direito de eleger o presidente da República.
O topo da carreira política e a volta ao Senado
De 87 a 90, foi Ministro da República em duas pastas. No Ministério da Reforma Agrária, desapropriou grandes áreas de terra, como a do Polígono dos Castanhais e a área da Cidapar, pondo fim a conflitos históricos no Pará. Na Previdência, implantou o SUS, previsto na Constituição de 88, e o 13º salário para aposentados e pensionistas, ganhando reconhecimento nacional.
Em 1991, Jader iniciou o segundo mandato de governador, realizando nova série de obras marcantes no Estado. Em 94, veio a primeira grande vitória para Senador da República. Em 1998, ele chegou ao cargo de presidente nacional do PMDB. Em 2001, a mais alta honraria: foi presidente do Senado e do Congresso Nacional. Nas eleições de 2002 e 2006, consagrou-se como o deputado federal mais votado do Pará e um dos mais votados do Brasil. Em 2010, nova declaração de confiança e amor por parte do povo do Pará: a segunda eleição para Senador, reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal.
O governador que mais fez pelo Pará
A marca de trabalho de Jader Barbalho está em muitas das maiores realizações deste Estado, está em milhares de obras inauguradas nos quatro cantos do Pará. Dos grandes municípios às pequenas vilas, é só conferir nos registros, é só perguntar ao povo, que tem respondido a cada eleição. Escolas, postos de saúde, hospitais, serviços de abastecimento de água, delegacias, quartéis, estradas e pontes, subestações e linhas de distribuição de energia. Com Jader, regiões inteiras, como o Sul e o Oeste do Pará, saíram do isolamento. Obras com benefícios concretos para a população.
O paraense mais influente no Congresso Nacional
Reconhecido como grande estadista, Jader é respeitado em Brasília, até mesmo pelos adversários, por sua capacidade de articulação e diálogo em favor da democracia. Há 13 anos consecutivos, o paraense está na lista do DIAP – Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – como um dos 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional, os chamados “cabeças do Congresso”. O DIAP avalia o desempenho, o trânsito e o peso nas decisões tomadas.
Grandes conquistas do trabalho parlamentar
O trabalho e a influência de Jader Barbalho em Brasília faz toda a diferença para o Estado. A conclusão das eclusas de Tucuruí, por exemplo, teve sua participação decisiva como senador e deputado federal. Jader cobrou do então presidente Fernando Henrique Cardoso a conclusão das eclusas. No governo do presidente Lula, pleiteou a transferência do Ministério dos Transportes para a Eletronorte, fundamental para acelerar as obras. Ele conseguiu também alocar recursos no orçamento da União para finalizar as eclusas, concluídas ano passado.
Outros exemplos de grandes obras realizadas com recursos obtidos por Jader são a duplicação da BR-316 no trecho de Benevides a Castanhal e as orlas de Santarém, Tucuruí e Altamira, além de emendas que beneficiaram nos últimos anos todos os municípios paraenses.
Sem dúvida, um grande caso de amor.

Ginásio João Paulo II


No dia 16 de maio iniciaram as obras de revitalização do Ginásio João Paulo II. Segundo a Secretária Nilse Pinheiro a previsão de conclusão é de 60 dias.

domingo, 22 de maio de 2011

A Frase do Dia

 Jader Barbalho

Nenhum político, em lugar e em época alguma, consegue ficar 45 anos no poder se não permanecer no coração do povo.
Copiado do Twitter de Jader Barbalho



DO OUTRO LADO É O DESESPERO

                                       
A DECISÃO SOBRE O MANDADO DE SEGURANÇA, IMPETRADO PELO SENADOR ELEITO JADER BARBALHO, DEVERÁ OCORRER NA SEMANA QUE SE INICIA. DOUTORES DO DIREITO DIZEM QUE A DECISÃO DEVERÁ SER FAVORÁVEL A JADER. TALVEZ ISSO EXPLIQUE TAMANHA IRA DO JORNAL O LIBERAL, QUE DE UMA HORA PARA OUTRA DECIDIU ATACAR AO SENADOR.
JÁ HÁ ALIADOS DE JADER USANDO A FRASE "DO OUTRO LADO É O DESESPERO" MUITO USADA NAS CAMPANHAS DO PMDB NAS ELEIÇÕES MAJORITÁRIAS, INCLUSIVE EM ANANINDEUA, QUANDO HELDER DERROTOU PIONEIRO, SENDO REELEITO.

O ARTIGO DE JADER BARBALHO

CÓDIGO FLORESTAL
O novo Código Florestal, que está para ser votado pelo congresso brasileiro, não pode representar uma satisfação que nós devemos à comunidade internacional. Com todo o respeito, a resposta que a nova lei deve é aos brasileiros, aos nossos interesses. Não pode engessar a Amazônia e deve levar em conta, primeiramente, os milhões de seres humanos que aqui vivem. Os Estados Unidos e a China não prestam a menor satisfação sobre a produção de poluentes e nem se comprometem a diminuir os altos níveis de destruição da camada de ozônio. Como diz a letra da música: “Tão nem aí”.

Sou a favor do Zoneamento Ecológico e Econômico da Amazônia, onde estão pré-estabelecidas as vocações municipais, da busca pelo equilíbrio e da harmonia entre o homem e a natureza, e a comunidade científica brasileira está bem preparada para isso. Não defendo a política ambiental irresponsável, destruidora. O que eu defendo é a racionalidade. Vi um dia destes que produtores de maçãs de Santa Catarina, muitos com mais de 100 anos de trabalho, no qual gerações estão envolvidas, vão ter que desocupar suas terras por causa das encostas. E o governo não oferece alternativas a essas famílias, que certamente serão largadas nas periferias das grandes cidades. Isso eu não defendo. Não comungo dessa irracionalidade. Nós temos que buscar soluções para que as centenas de famílias de plantadores tenham assegurado o pão de cada dia.

Não sou a favor do processo de intocabilidade que querem estabelecer para a Amazônia. Não posso concordar que homens, mulheres e crianças morram de fome por falta de oportunidade de trabalho. Enquanto isso, os países ricos querem nos oferecer o emprego de vigias da Amazônia, sem pagar nada por isso. Uma ova! Não vamos fazer leis ambientais para dar respostas aos cantores internacionais ou atores e atrizes que precisam estar na mídia. Não serão eles – de jeito nenhum – que vão nos dizer o que devemos fazer. Essa é a minha racionalidade: a preocupação com as famílias que vivem na Amazônia, com a falta de perspectiva de um futuro melhor. Essa é a prioridade que o governo brasileiro deve ter. A sociedade brasileira deve buscar soluções técnicas, viáveis. Não pode dizer: “sai daí e pronto!”. Isso tem acontecido com regularidade aqui na Amazônia. Em muitos municípios do Pará, onde foi deflagrada a operação Arco de Fogo, já se pode ver o rastro de prostituição infantil, de meninas sendo violentadas e meninos jogados na marginalidade porque suas famílias pobres sobreviviam da indústria madeireira. O Bispo de Marajó tem reiterado a denúncia. E nós vamos passar uma faixa nos olhos? Vamos permitir tamanha irracionalidade que é ver o meio ambiente totalmente preservado, intacto, e desviar nosso olhar das crianças descalças, com fome, de mendigos rurais? Todo o cuidado é pouco para não colocar o caboclo amazônico na relação dos animais em extinção.

Nós temos que defender a criação de alternativas de sobrevivência para nossa gente, para todos. O Congresso Nacional tem que se importar com as condições de vida dos ribeirinhos, dos pequenos agricultores. Não pode elaborar leis com a finalidade de responder a pressões internacionais de países onde as populações vivem no conforto e desprezar a realidade amazônica. Tem que vir aqui, conhecer pelo menos a metade do território e tomar conhecimento da história socioeconômico de uma região que é tão brasileira como as outras.

O mais importante no novo Código Florestal é a proteção ao homem. Ao mesmo tempo, o governo deve estar ocupado com a implantação de projetos viáveis de manejo, criação em cativeiro, turismo etc. De outra forma, vamos proteger a Amazônia para os abastados cidadãos dos países ricos em detrimento da maioria da nossa população que nem sequer tem água potável.

O Pará, como o Estado mais importante da Amazônia, deve liderar esse movimento de autossustentabilidade, da racionalidade, preservação e preocupação do meio ambiente de modo equilibrado, sem que isso represente a predestinação de seu povo à miséria.


JADER BARBALHO


*Texto originalmente publicado no jornal Diário do Pará no dia 22 de Maio de 2011.

BEATA IRMÃ DULCE


Está marcada para hoje, em Salvador Bahia, a cerimônia de beatificação de irmã Dulce que nasceu e viveu no Brasil.
O decreto que formaliza a condição de beata de Irmã Dulce foi assinado por Bento XVI em 10 de dezembro de 2010. A abertura do processo de beatificação de Irmã Dulce ocorreu em 17 de janeiro de 2000. No ano seguinte foi anunciado o milagre e, em 2002, o processo foi levado para análise do Vaticano.
Para que fosse considerada beata, uma vasta documentação foi encaminhada ao Vaticano, que fez o reconhecimento jurídico, em junho de 2003, sobre a veracidade do milagre atribuído a Irmã Dulce.
Em abril de 2009, a religiosa foi considerada venerável pela biografia. Isso, segundo a Igreja Católica, implica dizer que Irmã Dulce teve uma vida de santa.
A cerimônia, que contará com a participação de mais de 500 religiosos – entre padres, arcebispos, bispos, diáconos e seminaristas de todo o Brasil – será presidida pelo cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, o delegado papal na solenidade, representando o Papa Bento XVI.
Filha do cirurgião dentista Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes, Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu em 26 de maio de 1914, na capital baiana. Com a morte da mãe, com apenas 7 anos, a menina foi morar com as tias e aos 13 descobriu a vocação religiosa. Em homenagem à mãe, recebe o nome de Irmã Dulce. A religiosa morreu em 13 de março de 1992, pouco tempo antes de completar 78 anos.
Está marcada para hoje, em Salvador Bahia, a cerimônia de beatificação de irmã Dulce que nasceuviveu no Brasil.
O decreto que formaliza a condição de beata de Irmã Dulce foi assinado por Bento XVI em 10 de dezembro de 2010. A abertura do processo de beatificação de Irmã Dulce ocorreu em 17 de janeiro de 2000. No ano seguinte foi anunciado o milagre e, em 2002, o processo foi levado para análise do Vaticano.
Para que fosse considerada beata, uma vasta documentação foi encaminhada ao Vaticano, que fez o reconhecimento jurídico, em junho de 2003, sobre a veracidade do milagre atribuído a Irmã Dulce.
Em abril de 2009, a religiosa foi considerada venerável pela biografia. Isso, segundo a Igreja Católica, implica dizer que Irmã Dulce teve uma vida de santa.
A cerimônia, que contará com a participação de mais de 500 religiosos – entre padres, arcebispos, bispos, diáconos e seminaristas de todo o Brasil – será presidida pelo cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, o delegado papal na solenidade, representando o Papa Bento XVI.
Filha do cirurgião dentista Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes, Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes nasceu em 26 de maio de 1914, na capital baiana. Com a morte da mãe, com apenas 7 anos, a menina foi morar com as tias e aos 13 descobriu a vocação religiosa. Em homenagem à mãe, recebe o nome de Irmã Dulce. A religiosa morreu em 13 de março de 1992, pouco tempo antes de completar 78 anos.