domingo, 7 de dezembro de 2014

Fiéis celebram o Círio de Outeiro neste domingo

Os católicos do distrito de Outeiro, região metropolitana de Belém, saíram às ruas na manhã deste domingo (07) para homenagear a padroeira da ilha no 61º Círio de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. O tema deste ano é “Eis teus filhos que clamam por liberdade e dignidade humana”.
A procissão saiu por volta de 7h30 da manhã da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, na comunidade de Itaiteua, e deve terminar por volta de 10h30, com chegada na Igreja Matriz de Outeiro, na avenida Manoel Barata

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Campanha de Vacinação segue até dia 12 em Belém



Papais e mamães têm até o próximo dia 12 para levarem as crianças menores de cinco anos até as unidades de saúde de Belém para que elas sejam vacinadas contra a poliomielite e o sarampo. O prazo foi estendido pela Secretaria Municipal de Saúde para oportunizar a imunização a quem não conseguiu garantir essa proteção aos filhos e também para cumprir a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde para a capital paraense. 

terça-feira, 18 de novembro de 2014

NATAL ENCANTADO DO CENTUR

Belém ganha um espaço temático que reúne diversas atrações natalinas como oficinas, comercialização de artesanato e apresentações culturais – será o Natal Encantado, realizado no andar térreo da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.
O evento fica aberto até o dia 14 de dezembro de 2014, das 17h às 22h.  
O Natal Encantado terá atrações como Casa do Papai Noel, Fábrica do Papai Noel, Árvore dos Desejos, comercialização de artesanato natalino, espaços temáticos (presépio, trenó e Praça da Neve), oficinas de artesanato adulto e infantil, oficinas de arranjos florais e exposições.
O evento ainda terá apresentações diárias de grupos de teatro e de musicais, além da presença do Papai Noel (das 19h às 22h).

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

AGROSOCIOBIODIVERSIDADE, AGRICULTURA FAMILIAR E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA AMAZÔNIA


IAP lança com show CD e DVD sobre Pássaros Juninos

Data da Pauta:21/11/2014 19:00:00
Expira em:21/11/2014 23:00:00
Local:Instituto de Artes do Pará (IAP)
Endereço:Praça Justo Chermont, 236, ao lado da Basílica de Nazaré
Contatos:Danielle Franco (Ascom IAP): (91) 8889-3639/ 8883-7611
No próximo dia 21 de novembro, o Instituto de Artes do Pará (IAP) apresenta “Os pássaros – A música e o teatro popular do Pará”, projeto multimídia composto por livreto, CD e DVD, criado para resgatar o trabalho dos grupos de pássaros juninos. O lançamento conta com show dirigido por Félix Robatto, com Ana Clara Matos, Richelli Rodrigues, Nanna Reis, Larissa Leite, Camila Honda, Adriana Cavalcante, Aíla, Reginaldo Viana, ProeFex e Cronistas da Rua. A entrada é franca.
O projeto apresenta como resultado um material multimídia de livreto, CD e DVD, contando de forma abrangente o conceito da manifestação, como ela foi criada e sua importância para os brincantes e guardiões dos Pássaros Juninos. Para o DVD, foi produzido um documentário dirigido por Vladimir Cunha, que traz a origem dos Pássaros, seus principais agentes e os motivos que levam essas pessoas a fazer desta manifestação a sua profissão de fé.
O projeto inclui ainda um CD tributo, com direção musical de Félix Robatto. O disco foi proposto com a ideia de aproximar a manifestação a um novo segmento de público. Nele estão releituras de músicas do repertório dos Pássaros Juninos, interpretadas por músicos contemporâneos de Belém, como Camila Honda, Felipe Cordeiro, Keila Gentil, Adriana Cavalcante e outros.
Serviço: show de lançamento do CD e DVD do Projeto “Os pássaros – A música e o teatro popular do Pará”, com Félix Robatto, Camila Honda, Ana Clara Matos, Nanna Reis, Richelli Rodrigues, Larissa Leite, Adriana Cavalcante, Aíla, Reginaldo Viana, ProeFx e Cronistas de Rua. Dia 21 de novembro, às 19h, no Anfiteatro do IAP (Praça Justo Chermont, 236). Entrada franca.

Feriados nacionais de 2015

Confira a lista completa de feriados nacionais de 2015

1º de janeiro - Ano Novo (quinta-feira)

17 de fevereiro  - Carnaval (terça-feira)
Carnaval não é considerado feriado nacional, mas as empresas costumam liberar seus funcionários nesse dia. 

18 de fevereiro - Quarta-feira de Cinzas
A folga pode ir até o meio-dia da quarta-feira, quando se considera ponto facultativo.

3 de abril - Paixão de Cristo (sexta-feira)

21 de abril - Tiradentes (terça-feira)

1º de maio - Dia do trabalho (sexta-feira)

4 de junho - Corpus Christi (quinta-feira)
Corpus Christi também não é considerado feriado nacional, apenas ponto facultativo.

7 de Setembro - Independência do Brasil (segunda-feira)

2 de outubro - Nossa Senhora Aparecida (segunda-feira)

2 de novembro - Finados (segunda-feira)

15 de novembro - Proclamação da República (domingo)

24 de dezembro: Véspera de Natal (ponto facultativo após as 14h)  (quinta-feira)

25 de Dezembro -  Natal (sexta-feira)

31 de dezembro: véspera de Ano Novo (ponto facultativo após as 14h) (quinta-feira)

Cantora paraense presta homenagem à intérprete Marisa Monte

Para prestar uma homenagem aos 25 anos de sucesso de Marisa Monte, a cantora paraense Liège apresenta um show nesta quinta-feira (13). É o espetáculo 'Diariamente Marisa', que será no Centro Cultural Sesc Boulevard, com início a partir das 18h. A entrada é franca. 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Começa venda de ingressos para Goiás x Corinthians em Belém


A partida entre Goiás e Corinthians, no Mangueirão, em Belém, na próxima quarta-feira (19), ainda precisa de um documento para ser oficializada junto à CBF (Confederação Brasileira de Futebol), mas os ingressos já começaram a ser comercializados.
Os bilhetes podem ser comprados sob os valores de R$ 50 para arquibancadas e R$ 100 para cadeiras, nas centrais da Bis Entretenimento, na Avenida Braz de Aguiar, e em quatro shoppings da capital paraense, além do site Bilheteria Digital.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Belém ganha sua Virada Cultural em dezembro


A chamada é para ocupar as ruas com arte. O convite é democrático, destinando-se a todos os interessados.
Está lançada a primeira edição da Virada Cultural Belém. Serão 24 horas de programação gratuita, entre os dias 13 e 14 de dezembro, reunindo música, teatro, cinema, dança, fotografia, artes visuais e o que mais se apresentar.
Quem quiser participar pode inscrever o seu projeto gratuitamente até 21 de novembro, por formulário eletrônico, disponível no site do evento. Segundo o produtor cultural Pedro Vianna, um dos idealizadores do projeto, a ideia é construir uma programação extensa e colaborativa.
“Esse evento chega para ser um grande catalizador de projetos e agentes culturais que já existem em Belém.
Acho que já está mais do que na hora de termos esse evento, o número de coletivos na cidade tem aumentado, um maior número de artistas ganham destaque nacional, mais espaço e galerias foram abertas, estamos diante de um cenário efervescente em Belém”, explica.
Inspirada na Virada Cultural de São Paulo, a versão paraense quer reunir em sua estreia artistas locais e nacionais. E já tem uma grande atração confirmada, o rapper Emicida, um dos destaques da novíssima geração da música brasileira. Ele se tornou ícone do hip hop com canções como “Hoje Cedo” e “Levanta e Anda”. Mas não é com os shows musicais que a Virada pretende iniciar.
No dia 13, sábado, pela manhã, o evento inicia com oficinas na Casarela e no Fórum Landi. À tarde, está prevista uma extensa mostra audiovisual nos cinemas Líbero Luxardo (Centur) e Olympia.
Durante o evento, o Sistema Integrado de Museus também terá todos os espaços abertos com entrada gratuita.
Ainda não é possível precisar quantas oficinas ou filmes estarão na programação, pois toda ela será montada a partir das propostas enviadas no período de inscrições e passarão por uma curadoria.
“Ainda pode ser que cheguem propostas de intervenções artísticas, apresentações teatrais, e estamos abertos a tudo. O que queremos é ocupar os espaços com arte, independente da linguagem”, convida Pedro Vianna.

Dois Palcos
Os shows musicais, que costumam ser a parte mais aguardada nas outras versões da Virada Cultural país afora, terão início na noite de sábado, em um palco montado na Estação das Docas.
Estão previstas 12 atrações, mas a quantidade pode aumentar de acordo com a qualidade dos artistas inscritos.
Já o encerramento será num segundo palco, na Feira do Açaí, com programação bem definida e aprovada – uma alvorada de carimbó.
“Escolhemos também a Feira por ser um dos pontos mais emblemáticos do centro histórico da cidade e ao mesmo tempo marginalizado. Afinal, essa ocupação que estamos propondo é também uma confraternização.
A gente precisa ganhar espaço dentro dessa onda violência que tomou conta da cidade”, diz Pedro Vianna.
E quem já esteve na Virada Cultural de São Paulo recomenda e aprova a iniciativa.
A ocupação dos espaços abertos e de valor histórico é algo para comemorar, declara o guitarrista Manoel Cordeiro, que ao lado do filho Felipe Cordeiro, participou da Virada Cultural de São Paulo, em maio deste ano, levando ainda as cantoras Lia Sophia e Luê como convidadas.
“Acho toda essa iniciativa muito positiva. Este é um evento que permite por frente a frente diversas vertentes da música. E a música paraense cresce assim, na contradição. É nesse encontro que nasce a pluralidade. O fato de ser em lugares abertos, com acesso livre ainda faz do evento um fio condutor, que facilita a ligação entre artista e público”, finaliza o músico.
A cantora da Gang do Eletro, Keila Gentil, que participou da última edição em terras paulistas, comemorou a notícia:
“Eu adorei! Aqui no Pará temos muita coisa boa que a própria população desconhece. Esse é um evento que poderá ser vitrine para muita gente”, diz Keila, que antes de ser a estrela do tecnobrega, também era fã da cultura hip hop e, quem sabe, vai curtir as intervenções de grafite e dança.
NA EXPECTATIVA 
Virada Cultural Belém 2014
Quando: 13 e 14 de dezembro, com 24 horas de programação gratuita
Onde: diversos pontos da capital
Inscrições: www.viradaculturalbelem.com.br
Informações: (91) 3223-3979 | econtato@viradaculturalbelem.com.
br

CBF muda datas da final da Série C


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) mudou as datas da final da Série C do Campeonato Brasileiro entre Paysandu e Macaé-RJ.
Os jogos serão disputados em dois sábados. Nos dias 15 (Rio de Janeiro) e 22 (em Belém).
Os ingressos para o jogo em Belém, no Mangueirão, custarão R$ 50 a arquibancada e R$ 100 a cadeira. 38 mil ingressos serão disponibilizados a partir da próxima quarta-feira (12).
A equipe bicolor conseguiu a classificação neste domingo (9), mesmo com a derrota para o Mogi Mirim, por 2 a 1, já que havia vencido a primeira partida por 4 a 1. 

Eleições são anuladas e Remo fica sem presidente por 30 dias

Pleito foi invalidado após pedido de impugnação de Zeca Pirão, derrotado na votação, por falhas em urnas. Pedro Minowa promete ir à Justiça Comum

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Cemitério da Soledade abriga história e arte


Basta um olhar mais atento e um pouco de sorte. Em frente à entrada principal do Cemitério de Nossa Senhora da Soledade, na Avenida Serzedelo Corrêa, Batista Campos, há uma aparição que destoa da realidade.
Esculpido em mármore de lioz, um pequeno menino, com pelo menos 130 anos de idade, pode ser visto agraciado com oferendas, vestindo uniformes escolares e até usando camisas de times de futebol, como Remo e Paysandu.
A estátua enfeita o túmulo de uma criança, que faleceu aos sete anos, conhecida como “menino Zezinho”. Ele morreu junto a milhares de belenenses em meio às epidemias que assolaram a cidade no século XIX.
É o túmulo mais visitado do Soledade, no entanto, é a casa apenas de uma entre as dezenas de entidades populares que moram por ali. Elas são buscadas por devotos que movimentam o local, não só hoje, no Dia de Finados, mas todas as segundas-feiras, quando o cemitério é aberto à visitação.
Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1964, o Soledade tem um valor histórico e cultural imensurável. Hoje, o espaço aguarda munícipio e Estado concluírem as etapas do processo que deverá transformá-lo, finalmente, em cemitério-parque, a partir de recursos federais do PAC “Cidades Históricas”.
Enquanto as obras não começam, o Iphan tomou uma iniciativa para aproximar a população do espaço e difundir a importância de preservá-lo. Há 15 dias, uma cartilha especial, contando a história do cemitério e suas especificidades, foi lançada para enriquecer as visitas monitoradas. Elas podem ser agendas por qualquer escola ou grupo interessado em conhecer melhor o Soledade.

NÃO É SÓ VELHO

Desativado em 1880, o cemitério público mais antigo da cidade guarda traços e formas que, apesar da ação natural do tempo, resistiram à virada de dois séculos. Mausoléus, lápides e capelas majestosas dividem espaço com covas rasas e túmulos simples.
O contraste marca a desigualdade social até na hora da morte, segregando as mais de 30 mil pessoas, entre ricas e pobres, enterradas ali. Em meio à diversidade artística das obras, a maioria importada de Portugal, identificamos estilos que vão do neoclássico ao neogótico. Infelizmente, parte desta riqueza está escondida, tomada pela vegetação.
A arquiteta e urbanista Paula Rodrigues, mestranda em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Iphan, realizou uma pesquisa de campo entrevistando os frequentadores do Soledade. Ela constatou um fato que reflete a visão de grande parte da sociedade sobre o cemitério. “Perguntei aos visitantes o que eles sabiam do lugar e, a maioria, dizia: ‘Não sei de nada. Só sei que é muito velho’”, conta.
Sim, o Soledade é “muito velho”, mas está longe de se resumir a isso. “Ele é um símbolo do início do maior período de prosperidade econômica da cidade, a Belle Époque, coincidindo com o ciclo da borracha. O cemitério foi projetado pelo arquiteto favorito do Imperador Dom Pedro I (o francês Pierre Joseph Pézerat) e segue os moldes dos cemitérios monumentais europeus, com forte influência do período artístico do romantismo. Por sua localização central, é um local importantíssimo que, além de seu valor patrimonial, compõe a visualidade e a ambiência da cidade”, explica Paula.
De acordo com a pesquisadora do Iphan, não basta o poder público tomar iniciativas para preservar o Soledade se a população não enxergar seu valor. “O conhecimento precisa ser difundido. Grande parte das pessoas não conhece a história da própria cidade e isso é realmente preocupante. O que nós tentamos fazer é diminuir estas lacunas levando as pessoas para dentro do cemitério e mostrando, na prática, porque é um lugar tão rico”, afirma.
Antes da criação do Soledade, os mortos eram enterrados nas igrejas da cidade. No ano de sua inauguração oficial, em 1850, a população de Belém era de cerca de 75 mil habitantes, sendo quase 20 mil escravos. Com as epidemias de febre amarela, em 1850, e cólera, em 1855, o cemitério foi ocupado rapidamente. Depois, os enterros passam o ocorrer no Cemitério Santa Izabel, no bairro do Guamá.

CEMITÉRIO-PARQUE

Com a execução dos projetos que irão transformá-lo em cemitério-parque, uma articulação que ocorre desde a década de 1990 e segue sem data certa para finalização, o Soledade será restaurado e as ações culturais e educativas deverão ser intensificadas.
A professora da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e restaurada do Museu de Arte de Belém, Rosa Arraes, desenvolve um trabalho de pesquisa no cemitério desde 1989. Através da análise de catálogos da época, ela fez um levantamento que possibilitou o estudo da simbologia dos túmulos.
De acordo com Rosa, a devoção popular atribuída a determinado morto tem origem em algum suposto milagre ou na história de vida da pessoa. 
“Alguns tipos de devoção, como o ato de levar velas para as almas, são muito antigos e ocorriam desde o tempo em que os sepultamentos eram nas igrejas. Por conta do sincretismo religioso, próprio do Brasil, pessoas que não tinham como fazer suas devoções acabavam encontrando outras entidades, santos correlatos, para manifestar sua fé em outros espaços”, explica.
Segundo a professora Rosa Arraes, o projeto que deve transformar o Soledade em cemitério-parque deve levar em consideração tanto seus aspectos materiais quanto imateriais, como as devoções no local.
“O cemitério é, antes de tudo, um espaço para perpetuar a lembrança, a recordação. É um campo da memória muito especial que fala da morte, é importante que não se esqueça disso. Além de seu valor monumental, histórico e artístico, ele tem valores simbólicos imateriais tão grandes quanto os materiais”, comenta.
Além do Menino Zezinho, outros túmulos, como o da Menina Januária, Raimundinha Picanço, Preta Domingas, Escrava Anastácia e dos Gêmeos também são muito visitados e recebem preces, promessas e oferendas. Prova de que, apesar de seus 164 anos e da falta de cuidados apropriados durante décadas, o Soledade, preso em seu próprio tempo, vive. 
Conheça os túmulos mais visitados 
- Os Gêmos: 
Estilo neoclássico em mármore de lioz. Túmulo cercado por gradil de ferro trabalhado, imitando um berço. Imagens infantis representando a morte prematura de inocentes gêmeos. A escultura apresenta dois bebês adormecidos, simbolizando o sono eterno, em uma almofada bordada. As cabeças estão apoiadas em delicados travesseiros, denotando técnica rebuscada inexistente na região. É mais um dos túmulos que recebem muitos devotos e, especificamente, oferendas infantis.

- José (Menino Zezinho):

Estilo neoclássico em mármore de lioz. Criança que faleceu aos sete anos de idade simbolizada por um menino nu sentado que segura um pergaminho com seu nome e data de falecimento. Túmulo mais visitado do Soledade, ele vem sendo objeto de devoção popular há décadas. Fiéis atribuem milagres e graças recebidas por meio do intermédio do “Menino Zezinho”. Em retribuição, costumam deixar oferendas, que vão desde balas, doces, refrigerantes, até camisetas e bonés para vesti-lo. 

- D. Antônia Joaquina Roiz dos Santos:

Escultura de baixo relevo de estilo neoclássico. Casal abraçado em atitude de lamentação. A mulher apoia a cabeça no ombro do homem, que segura nas mãos um galho, provavelmente de uma flor quebrada em associação à vida interrompida. Nota-se uma coluna adornada por guirlanda, que significa merecimentos, com uma tocha deitada ainda queimando. A tocha representa a vida que se extingue, mas como permanece acesa, faz alusão à chama da vida eterna, que ainda é uma esperança. Na cabeça do homem há uma coroa de louros, simbolizando vitórias e conquistas.

- C. A. J. Chermont:

Estilo neoclássico em mármore de Carrara. Mausoléu com escadarias, vitrais, colunas coríntias de fuste estriado e frontão triangular que guarda as iniciais C. A. J. Elas correspondem ao nome da filha do senador Justo Chermont, Cecília Augusta de Assis Chermont, falecida ainda jovem. O portão de bronze trabalhado traz detalhes em espigas. Dentro, há um busto de mulher e três urnas funerárias. O rico senador era filho do Visconde de Arary e chegou a ser governador do Estado e ministro das Relações Exteriores do governo Deodoro da Fonseca.

- Preta Domingas:

Estilo neoclássico em mármore de lioz. Coluna de secção quadrada encimada por uma urna flamejante, simbolizando o fogo eterno. As ampulhetas aladas representam a passagem implacável do tempo, já a representação da flor do cardo/perpétua, na base da urna, fazem referência à saudade. No epitáfio, lê-se: “Aqui jazem os restos mortaes da Preta Domingas. Faleceu em 25 de março de 1871. Signal de gratidão”. A gratidão explica o fato de uma escrava estar entre os mausoléus de ricos e poderosos. Provavelmente, seu último senhor lhe concedeu esta homenagem. O túmulo da escrava é objeto de devoção popular.

- Mariana Isabel:

Estilo neoclássico em que uma coluna baixa sustenta um obelisco, símbolo da influência egípcia, da onde se ergue uma cruz. Na base, consta a inscrição: “Aqui jaz D. Marianna Izabel Leite da Silva. Fallecida n’esta cidade de Belém a 06 de julho de 1880. Amor conjugal”. Provavelmente, por ser homenagem de um esposo apaixonado, este túmulo recebe grande devoção popular, especialmente, em casos matrimoniais. No ano da morte de Marianna, o Soledade seria oficialmente desativado para enterros.

- Escrava Romana/Anastácia:

Sepultura simples delimitada por um gradil de ferro. É um túmulo emblemático, pois pertence a uma escrava reverenciada como a santa popular Anastácia. Na verdade, a escrava Anastácia é alvo de devoção no Rio de Janeiro, onde supostamente está enterrada. No caso do Soledade, o túmulo pode ser de uma mulher homônima ou de uma escrava que era considerada propriedade de Joaquim Francisco Corrêa. O sepultamento da escrava Romana é tido como o primeiro enterro do Soledade.

- Capitão de Mar e Guerra José Joaquim da Silva:

Estilo eclético em mármore de Carrara. Acima, há uma urna flamejante, simbolizando a chama eterna. O frontão é sustentado por cariátides, mulheres no lugar de colunas. A ampulheta alada, representando a passagem do tempo, está acima de uma âncora, que faz alusão à profissão do falecido e é sinal de esperança. As decorações com folhas de acanto representam provações vencidas, já a cobra que morde o próprio rabo nos remete à eternidade. A flor do cardo/perpétua significa perpétua saudade. O capitão foi Comendador da Ordem de São Bento de Aviz e prático das costas do Pará, Maranhão e Cayenna.

Banda Turbo sai em turnê pelo Nordeste

Novembro é mês de pegar a estrada para os paraenses do Turbo. A banda de Camillo Royalle (voz e guitarra), Netto B (bateria), Wilson Fujiyoshi (baixo) e Bruno Cruz (guitarra) segue para uma turnês por seis cidades nordestinas, a começar por São Luís, no Maranhão. Depois partem para Teresina, no Piauí e seguem para o Ceará, onde tocam em Fortaleza e no Crato, e shows encerram em Mossoró e em Natal, no Rio Grande do Norte.
São mais de três mil quilômetros de puro rock, música e oportunidade da banda paraense mostrar seu trabalho, agora mais amadurecido, para outros lugares do país, em uma experiência totalmente nova. “Acho que só agora estamos mais estruturados como banda e o convite pro Festival Dosol, em Natal, deu um gás para montarmos essa tour”, explica o vocalista Camillo Royale. Para ele, será uma boa oportunidade de divulgar o som da banda em outros lugares: “A intenção é que conheçam o nosso trabalho, fazer novos amigos, conhecer novas bandas e plantar uma sementinha para uma possível volta ano que vem, já com o disco novo debaixo do braço”.
A banda já tem quase dez anos e é reconhecida pelo shows performáticos e por manter um ritmo em seu trabalho gravando e lançando novas músicas com frequência a partir de um selo próprio, o Rajada Records. Depois de rodar o Nordeste a banda promete novidades para o ano que vem: o lançamento de um disco novo, “Eu Sou Spartacus”, que foi gravado em 2013 com o produtor Chips Kiesbye e que também rendeu um clipeda música “Já”, lançado em agosto desse ano, e que mostra um pouco do que foi o diário de gravações da banda com o produtor.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Festival de Música da Uepa inscreve até dia 7

O Núcleo de Arte e Cultura da Universidade do Estado do Pará (Uepa) abre inscrições aos interessados em participar do II Festival de Música Popular, aberto a servidores e alunos. Para participar, o candidato deve preencher e entregar a ficha de inscrição e até duas músicas inéditas, em português, na Pró-Reitoria de Extensão (Proex), até o próximo dia 7 de novembro, no horário de 9h às 14h.
No primeiro momento serão selecionadas 24 músicas pela comissão julgadora. No dia 17 de novembro, serão divulgadas as doze finalistas.
A cerimônia que vai definir as composições ganhadoras, além de melhor intérprete e melhor arranjo, ocorrerá no dia 27 de novembro, no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE). A premiação será com instrumentos musicais e a gravação das três primeiras músicas ganhadoras. Mais informações pelo e-mail femuepa@gmail.com ou pelos telefones 8895-5990, 8209-0494 e 3299-9300. 

Curro Velho inicia oficina de ficção científica

Roteiro, filmagem, edição, finalização e pré-produção são algumas palavras que a partir de agora farão parte da vida dos jovens moradores da Vila da Barca. Os alunos integram a oficina de ficção científica realizada em parceria com o curso de Cinema da Universidade Federal do Pará, que iniciou suas atividades nesta semana.
Segundo o coordenador do projeto, Luiz Adriano Daminello, até o dia 14 de dezembro, a experiência com cinema irá envolver todas as etapas da produção de um filme. “Durante todo o processo, os alunos irão desenvolver um roteiro, as filmagens e o cenário será a Vila da Barca. Adorei o processo da oficina com uma turma jovem e bem participativa. Isso é ótimo, pois o aluno irá soltar sua criatividade. Com esse desejo teremos um produto muito bom desta oficina”, comemora Luiz Adriano.
As inscrições para a oficina ainda podem ser realizadas na sede da Fundação Curro Velho. O curso ocorre de segunda à sexta-feira, de 15h às 17h, até o dia 14 de dezembro. Informações: 3184-9110 ou 8895-1334.

Venda do Rock in Rio Card começa no próximo dia 18


Terça-feira, 18, é o dia em que os fãs mais desesperados vão poder adquirir seus ingressos antecipados para a edição de 2015 do Rock in Rio. Às 10h, começa a venda do Rock in Rio Card — que será trocado no ano que vem por entrada para um dia específico do festival, quando as atrações estiverem confirmadas. O valor é de R$ 320 (e R$ 160 a meia).
Na última edição, em 2013, os 80 mil cartões se esgotaram em 52 minutos. Desta vez, são mais 20 mil disponíveis. Quem comprar o Rock in Rio Card nesta edição terá um período de dois meses (entre fevereiro e abril) para decidir quais serão os dias escolhidos. Até lá estará definida a maior parte das atrações.
Antes das vendas, no dia 15, a organização fará uma ação de "caça aos bilhetes", na qual os inscritos (a partir do dia 5, pelo site do festival) procurarão cartões promocionais.
Por enquanto, os metaleiros do Nightwish e os artistas pop Katy Perry e John Legend são os únicos garantidos no evento, que acontece entre 18-20 e 24-27 de setembro na Cidade do Rock. Será a sexta edição do Rock in Rio em sua terra natal. Em maio, o festival ganhará uma versão em Las Vegas.

sábado, 1 de novembro de 2014

Moradores denunciam Pioneiro por obra parada

Moradores denunciam a paralisação das obras de drenagem, terraplenagem e pavimentação da rua Waldemar Henrique, localizada no bairro Jiboia Branca, em Ananindeua. A inércia, segundo a população, já dura cinco meses e seria de responsabilidade da Secretaria de Saneamento e Infraestrutura de Ananindeua (Sesan). Segundo os moradores, a rua que antes era de piçarra ficou ainda mais deteriorada com as chuvas que costumam cair.
O técnico em Radiologia Nilson do Rosário é morador da área e reclama que a obra foi abandonada sem explicações e desde então nada foi feito no local. “A placa da Sesan foi colocada na rua, mas não tem a data de início e término da obra. Também não tem os valores gastos pela prefeitura, ou seja, é como se não houvesse obra nenhuma. Meu carro está na rua há mais de cinco meses porque com esse buraco enorme que tem bem em frente à minha casa não consigo colocar o carro para dentro da garagem, fora a poeira, que é interminável”, diz, aborrecido.
A rede de tubulação que começou a ser colocada na rua é outro alvo de reclamação dos moradores. Por conta do buraco que foi feito e que estaria a céu aberto, quando chove, a rua chega a transbordar, o que impossibilita qualquer pessoa de transitar pelo local. A dona de casa Andréa Calandrine é uma das moradora mais atingidas pela obra, pois o buraco encontra-se bem em frente à sua residência. “Meus filhos não podem brincar na frente de casa porque correm o risco de cair nesse buraco. Nossa rua foi destruída e depois abandonada”, diz.
A Sesan foi procurada para fazer o isolamento do buraco e, assim, evitar que acidentes aconteçam. Apenas uma rede de proteção foi colocada no local mas já estaria se acabando por conta da chuva e do sol.

Festa de Halloween realiza programação especial

Dividido em duas noites de muita agitação, o Café com Arte realiza nesta sexta (31) e sábado (1), a 11ª edição do Halloween 'Gostosuras ou Travessuras'. O evento que será realizado a partir das 22h, no Café com Arte, conta com uma programação especial e promete ser inesquecível. Ingressos a R$ 30 com fantasia e R$ 40 para os não fantasiados até 0h. Após esse horário o valor sobe para R$ 40.

Valendo: multas por ultrapassagem ficam 10 vezes mais caras

Após ser aprovada em abril deste ano pelo Congresso Nacional, começa a valer, a partir deste sábado (1º), a alteração em 11 dispositivos do Código Brasileiro de Trânsito que deixam as multas por ultrapassagem e prática de rachas mais caras. 
Ultrapassagens em local proibido, por exemplo, que antes eram punidas com multa de  R$191,54, passam a custar R$957,70. Já as ultrapassagens em locais permitidos colocando em risco a segurança dos envolvidos passarão a custar R$ 1.915,40, dez vezes mais que o antigo valor. Em caso de reincidência, a carteira de motorista será suspensa e a multa ultrapassará os R$3 mil.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Em Ananindeua obra vira depósito de lixo


Na quadra já deteriorada e envolta pelo terreno repleto de lixo e mato, algumas crianças ainda tentam brincar no que, segundo o planejamento, deveria ter se tornado uma praça de esporte e cultura. No terreno localizado no bairro do Jaderlândia I, no município de Ananindeua, deveria funcionar um espaço de lazer para a comunidade, porém, segundo denúncias dos próprios moradores, hoje serve de depósito de lixo e entulho.

CULTURA

CULTURA

No norte do país o jeito de ser paraense chama a atenção. Seja na forma de falar, de cantar, de dançar ou de vestir. Apesar das influências do resto do país, o paraense mantém, com fervor, o gosto pelas coisas da terra.
Nas ruas de Belém é impossível não correr para pegar uma manga que cai, fresquinha. São tantas frutas diferentes que não dá para resistir ao cupuaçu, ao bacuri, ao taperebá, ao muruci ou ao açaí. Nas festas, na capital e no interior, não tem arrasta-pé sem carimbó, ritmo contagiante que simboliza um cortejo entre o homem e a mulher.
No mês de junho os terreiros, as quadrilhas e as comidas típicas dão às cidades paraenses um charme especial com o colorido das bandeirinhas de São João. No interior do Estado, nas conversas ingênuas nas portas das casas, é comum ouvir estórias encantadas do Boto e da Matinta Perêra. O imaginário da região é povoado de misticismo e fé.
E essa fé ganha proporções gigantescas no Círio de Nazaré, sempre no segundo domingo de outubro, uma das maiores manifestações religiosas do país e considerada o "Natal do paraense". O clima de confraternização no almoço do Círio só é completo com pato no tucupi e maniçoba à mesa.
A cerâmica inspirada nos índios é outra tradição da terra. O Pará é o resultado de uma mistura de ritmos e de raças convivendo harmoniosamente. Dos índios, tomamos o tucupi bem quentinho, dos negros apreciamos os passos da Marujada, em Bragança, e ainda dançamos a quadrilha, que veio da Europa.
Visitar o Pará é descobrir todos esses segredos. Receber o carinho e a hospitalidade do povo, saborear seus pratos e não resistir a seus ritmos.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Quem não votou no 1º turno pode votar no 2º

Quem não pôde ou não quis votar no Primeiro Turno das Eleições e por isso não compareceu às zonas e seções eleitorais, pode votar no segundo turno, que será realizado no domingo (26).
Até mesmo quem não justificou pode votar, já que o prazo final para justificar é em dezembro. A justificativa é válida somente para o turno ao qual o eleitor não compareceu, por estar fora de seu domicílio eleitoral. Assim, se o eleitor deixou de votar no primeiro e no segundo turno da eleição, terá de justificar sua ausência para cada turno, separadamente, obedecendo aos mesmos requisitos e prazos para cada um deles.
O eleitor que não estiver quite com suas obrigações eleitorais focará impedido de exercer alguns direitos, tais como: inscrever-se em concurso público; ser empossado em cargo público; obter carteira de identidade ou passaporte; renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial; obter empréstimos em bancos oficiais; e participar de concorrência pública ou administrativa.
O brasileiro que estava no exterior no dia do pleito e não se cadastrou para votar no país onde se encontra, tem até 30 dias contados de seu retorno ao Brasil para justificar a ausência no cartório eleitoral.

Prefeita de Rondon do Pará tem mandato cassado


O mandato da prefeita Shirley Cristina de Barros Malcher (PSDB), de Rondon do Pará, sudeste paraense, foi cassado na manhã desta quarta-feira (15) pelo juiz eleitoral Dr. Gabriel Costa Ribeiro.
Vice de Malcher, Pedro Dias dos Santos Filho (PTB) também teve o mandato cassado sob acusações de abuso do poder político e econômico e utilização indevida de veículos ou meios de comunicação.
Com prefeita e vice cassados, Valmir Santos, presidente da Câmara de Vereadores, assumirá a prefeitura temporariamente. Veja um trecho da setença:
JULGO PROCEDENTE o pedido constante das AIJE´s números 416-93.2012.6.14.0051 e 417-78.2012.6.14.0051, e CONDENO SHIRLEY CRISTINA DE BARROS MALCHER e PEDRO DIAS DOS SANTOS FILHO, atualmente prefeita e vice-prefeito, respectivamente, do Município de Rondon do Pará pela prática de abuso do poder político e econômico, por utilização indevida de veículos ou meios de comunicação, nos termos do art. 22 da Lei Complementar 64/90, e , em consequência, DETERMINO a PERDA DO CARGO e a CASSAÇÃO DO DIPLOMA E DO MANDATO DE SHIRLEY CRISTINA BARROS MALCHER (PSDB) e PEDRO DIAS DOS SANTOS FILHO (PTB). Por fim, APLICO, ainda aos condenados, a sanção de inelegibilidade, pelo período de 8 (oito) anos subsequentes à eleição municipal de 2012, nos termos do art. 22, XIV, da Lei Complementar 64/90.
Rondon do Pará, 15 de Outubro de 2014
GABRIEL COSTA RIBEIRO
Juiz Eleitoral da 51ª Zona Eleitoral

Funcionários trabalham há anos sem equipamento


O clima é de indignação entre os funcionários da Fundação Cultural Tancredo Neves (FCPTN). “George era muito querido por todos aqui. Se o governo do Estado tivesse providenciado os equipamentos de segurança, essa morte poderia ser evitada”, disse um funcionário que não quis se identificar por temer retaliações.
O iluminador cênico George Wellington da Costa Santos, 39 anos, morreu na última terça-feira (14) dentro do Teatro Margarida Schivasappa. Há suspeita é de que ele não estava usando equipamentos de segurança. A Polícia Civil está investigando o caso.
Os colegas de trabalho da vítima confirmam a versão. “No momento do acidente ele não usava nenhum equipamento de proteção individual, obrigatório segundo a legislação trabalhista e de responsabilidade do empregador, no caso a FCPTN”, afirmou um servidor.
Segundo o funcionário, a Fundação Tancredo Neves “comprou às pressas equipamentos de proteção para evitar um escândalo maior e estão tentando evitar que a imprensa saiba dos detalhes e das inúmeras falhas da atual gestão”.
EQUIPAMENTOS
Por telefone, a diretora de interação cultural do Centur, Lucinha Bastos, informou que há 27 anos funcionários trabalham sem equipamentos de segurança. “Um pedido com equipamentos de segurança foi feito recentemente, antes do acidente”, informou.
Segundo ela, George, que trabalhava há seis anos no Centur, ocupava o cargo de gerente interino e não quis receber alguns equipamentos de segurança “por estarem fora das especificidades”. “São capacetes e outros materiais que não estavam dentro do padrão que ele [George] queria”, explicou. 
A diretora explicou ainda que é possível que, na hora do acidente, o iluminador estivesse verificando alguns dos equipamentos que chegaram ou realizando atividades rotineiras.
O enterro de George Wellington Costa está previsto para as 9h desta quinta-feira (16) em um cemitério localizado na Alça Viária.
(Antonio Santos/DOL)

sábado, 11 de outubro de 2014

Feira do Miriti traz para o público arte regional

Com a chegada do mês de outubro, o Pará mostra os símbolos de sua cultura. A Feira do Artesanato de Mirití é uma delas, que segue aberta para visitação até o dia 13 de outubro. A praça D. Pedro II é o local que recebe os expositores, das 8h às 23h. A entrada é franca. 

CÍRIO DE NAZARÉ

CÍRIO DE NAZARÉ

A LENDA


Era fim de 1700. Plácido era um caboclo da região. Certo dia, saiu para caçar no rumo do igarapé Murutucu. Horas depois, após muito caminhar na mata, parou para refrescar-se nas margens do igarapé e viu a imagem da Santa entre as pedras cheias de lodo.
Plácido levou a imagem para sua casa e ali num altar humilde passou a venerar a Santa. Mas, no dia seguinte a imagem havia sumido. Sem saber o que acontecera, Plácido saiu andando pela estrada indo parar nas margens do Murutucu. Para sua surpresa, a imagem estava novamente entre as pedras, no mesmo lugar onde fora encontrada.
Dizem os devotos, que a Santa sumiu outras vezes e essa história chegou ao conhecimento do governador, que mandou levar a Imagem para o palácio e a manteve sob severa vigilância. Mas, pela manhã a Imagem havia sumido novamente. Os devotos concluíram que a Santa queria ficar às margens do Igarapé e lá construíram a primeira Ermida.
O povo vem desde então invocando a Santa e atribuindo a ela as muitas graças recebidas. Foi assim que o culto nasceu e evoluiu.
A transladação no Sábado e o Círio no 2º Domingo de Outubro reproduzem simbolicamente o milagre, fazendo o trajeto da Santa das margens do Igarapé Murutucu (atual Colégio Gentil) até a cidade (atual Catedral na Cidade Velha) e seu retorno (atual Basílica de Nazaré).

A FESTA


O Círio é a expressão de dois sentimentos fortes do povo brasileiro: a fé religiosa e o gosto pela festa.
Durante os quinze dias que duram a festa, Belém é envolvida por um espírito de união, onde a família paraense se confraterniza.
O ponto alto da festa é o almoço do Círio. Com mesa farta de comidas típicas de dar água na boca: o pato no tucupi, a maniçoba, o tacacá ou o casquinho de caranguejo....

À noite, o espetáculo é ver a Basílica iluminada, mais de 4.000 lâmpadas são colocadas para fazer os contornos da Fachada da Basílica de Nazaré.
No largo de Nazaré, onde foi construído o CAM – conjunto Arquitetônico de Nazaré, dezenas de pessoas constróem barraquinhas de madeira para venda de bebidas, comidas típicas. As ruas ficam coloridas por brinquedos de miriti, em forma de barquinhos, cobras, carrinhos de vários formatos e tamanhos, que são vendidos nas calçadas e um sem número de lembranças do Círio.
Na concha acústica do CAM, são organizados shows, com músicos famosos e conjuntos de rock que levam a juventude ao delírio. Além disso o arraial montado ao lado da Basílica, garante a diversão da garotada, com direito a roda gigante e muitos brinquedos que vão desde o tradicional cavalinho até modernos jogos eletrônicos.
Durante todo o período do Círio, Belém é só festa, a cidade ganha uma alegria contagiante, uma mistura de fé, folclore, cores e sabores. Por tudo isso, o Círio é considerado o Natal dos paraenses.

A PROCISSÃO


Em Belém do Pará, no 2º Domingo de outubro, acontece a maior manifestação religiosa do Brasil. Na verdade toda a população de Belém, mais de um milhão de habitantes e grande parte da população do interior e estados vizinhos participam da festa. Nenhuma outra, inclusive o Natal, nem mesmo festas e espetáculos profanos, como o carnaval e o futebol, tem para o paraense o significado e a importância do Círio.

Os 15 dias de homenagem à Virgem de Nazaré começam com a Transladação que é uma procissão noturna, que acontece na noite do 2º Sábado de outubro, quando o povo conduz a Imagem da Virgem da Capela do Colégio Gentil Bittencourt em Nazaré até a Catedral Metropolitana na Cidade Velha.

A procissão do Círio propriamente dita, acontece no 2º Domingo de outubro, quando saindo da Catedral, a Imagem é conduzida pelo povo até o Largo onde está a Basílica de N.S. de Nazaré. Esse percurso de mais ou menos 2,5 Km é percorrido em 4 horas e mobiliza milhares de pessoas nas ruas de Belém, sem contar outras milhares que assistem à passagem da santa dos edifícios, das janelas das casas, dos palanques e arquibancadas armados nas praças, entoando cânticos e proferindo fervorosas orações num lindíssimo espetáculo de fé.

A procissão é repleta de simbolismo. O traço mais marcante é uma corda, utilizada para puxar o luxuoso carro que transporta a Imagem da Santa. Entre os devotos, a corda representa o elo de ligação do povo com a Virgem. São milhares de romeiros descalços, disputando cada pedaço da corda, fazendo assim um autêntico cinturão humano que protege a Berlinda.

O pagamento de promessas durante a procissão é um dos fatos mais impressionantes. Em agradecimento as graças recebidas por intercessão da Santa, muitos romeiros se vestem com longas mortalhas arrastando pesadas cruzes de madeira, outros levam miniaturas de casas, mini-embarcações e muitos outros objetos que aludem aos milagres feitos pela Virgem. No "carro dos milagres", um barco sobre rodas onde são colocados braços, cabeças e outras partes do corpo trabalhadas em cera, que representam a cura de uma enfermidade por milagre da Santa. Este carro representa o naufrágio do navio São João Batista, em 1846, em que as pessoas se salvaram graças à ação milagrosa da Virgem.

Desde 1986, as festividades de Círio incluem a Romaria Fluvial, realizada no Sábado de manhã. A imagem é levada através da Baía de Guajará, do trapiche de Icoaraci à escadinha do Cais em Belém, acompanhada por um grande número de embarcações.

Durante os 15 dias no arraial no largo de Nazaré, tudo é festa, há fogos de artifício, comidas típicas e parque de diversão. O encerramento dos festejos dá-se após o 4º Domingo de outubro, com a procissão de retorno, chamada Recírio, quando a imagem é devolvida ao seu nicho na Capela Gentil Bittencourt.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Pavulagem realiza ensaio para Arrastão do Círio

A menos de uma semana para o Arrastão do Círio 2014, o Instituto Arraial do Pavulagem entra na reta final dos preparativos para o cortejo em homenagem à padroeira dos paraenses. Nesta quinta-feira (9), o Instituto realiza o ensaio geral para o Arrastão, a partir das 18h, na Praça dos Estivadores. Cerca de 500 brincantes, entre percussionistas, dançarinos, pernas de pau e integrantes que ajudam a construir o folguedo, participam da programação.

Círio 2014 está oficialmente aberto

Após cerimônia realizada por volta das 19h desta terça-feira (7), na Basílica Santuário de Nazaré, a edição 222 do Círio de Nazaré foi oficialmente aberta. A solenidade, que iniciou com a bênção de Dom Alberto Taveira, contou com a presença dos diretores da festa, autoridades locais e de representantes da Unesco e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Conheça os 41 deputados eleitos para Assembleia Legislativa



Quarenta e uma vagas estavam disponíveis para o cargo de deputado estadual no Pará. Os cinco mais votados foram: Márcio Miranda (DEM), Cilene Couto (PSDB), Junior Ferrari (PSD), Luth Rabelo (PSDB) e Coronel Neil (PSD).

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Paysandu

‘Foi difícil, foi. Foi intenso, foi’. Podia ser a letra de um famoso sertanejo da nova geração, mas foi apenas o cenário de mais um jogo do Paysandu no Campeonato Brasileiro da Série C. Diante do Treze-PB, na Curuzu, o Papão venceu e se manteve vivo na disputa por uma das quatro vagas que avançam à próxima fase da Terceirona.
Em um jogo muito disputado, os bicolores foram mais eficientes e balançaram a rede do adversário três vezes. O primeiro foi marcado pelo zagueiro Pablo, de cabeça. Wanderson, contra, e Rômulo, aos 35, fizeram a festa da Fiel. O Treze-PB foi para a rede com o ex-bicolor Rafael Oliveira e com o meia Guto, ambos no primeiro tempo.
O resultado deixou o Bicola com 23 pontos, dois a menos que o Botafogo-PB, que é o quarto colocado. Já o Treze-PB ficou em situação difícil na luta contra o rebaixamento, com 16 pontos,  na penúltima posição, para a alegria do Águia de Marabá, que segue fora da zona.
Na próxima rodada, o Paysandu faz mais uma decisão, dessa vez contra Crac-GO, fora de casa, sábado (4), às 19h. No mesmo dia o Treze recebe a equipe do Salgueiro-PE, também às 19h.

domingo, 28 de setembro de 2014

Eleitor que viajar deve justificar ausência

Faltando uma semana para o 1º Turno das Eleições, quem precisar viajar ou já estiver fora de seu domicílio eleitoral deve ficar atento ao procedimento para justificar sua ausência.
A falta pode ser justificada em qualquer seção eleitoral. Para isso, é necessário levar um documento com foto e do formulário de justificativa eleitoral (que pode ser obtido no site do TSE ou em qualquer seção, cartório ou posto de atendimento eleitoral). 
Quem estiver fora do Brasil terá 30 dias a partir da data em que retornar ao país para formular requerimento de justificativa pela ausência às urnas ao juiz da zona eleitoral à qual está inscrito ou, caso se encontre fora de seu domicílio eleitoral, em qualquer cartório eleitoral. Para isso, deverá apresentar os documentos que comprovem o seu deslocamento e retorno ao País. 
É importante lembrar que primeiro e segundo turnos são eleições independentes, portanto é necessária uma justificativa para cada ausência em votação.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Bancários entrarão em greve a partir do dia 30 no Pará

Trezentos bancários, reunidos em assembleia na noite desta quinta-feira (25), decidiram que entrarão em greve a partir da próxima terça-feira (30) em todo o Pará, o que deve acontecer também em todo o país.
A categoria rejeitou a proposta de 7% de reajuste no salário (0,61% de aumento real), na PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e nos auxílios refeição, alimentação e creche, além de 7,5% no piso (1,08% acima da inflação), apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) em reunião com o Comando Nacional dos Bancários realizada no último dia 19, em São Paulo.
Os trabalhadores reivindicam reajuste de 12,5%, ampliação na PLR, mais investimentos em segurança e medidas de prevenção contra assaltos e sequestros, contratação de mais bancários e abertura de novas agências, redução de juros e tarifas, combate efetivo ao assédio moral e fim das metas abusivas, Plano de Cargos e Salários em todos os bancos, dentre outras questões.